quarta-feira, 5 de março de 2008

Alexandre e Amanda

No post "Desliga você!", eu escrevi uma típica conversa no telefone entre dois adolescentes apaixonados. E mais: coloquei no ínicio que essa melosidade toda pode ser aplicada a duas pessoas adultas, quando essas também são atingidas pelo cupido.

Querendo, agora, tratar o assunto (a paixão) de maneira mais séria, escrevi o conto abaixo.

"Alexandre é executivo de uma grande empresa. Sempre foi um homem sério, com aversão a badalações e à promiscuidade. Seu único objetivo era aprimorar sua vida profissional, até que um dia, ele começou a ter contato com uma mulher que trabalhava na mesma empresa. O nome dela é Amanda. Ela é descolada, expansiva e gosta de festas.

De início, eram contatos puramente profissionais. Mas, a inteligência e sensualidade de Amanda fez com que Alexandre se encontrasse logo apaixonado. Os dias iam passando, e os dois já não falavam mais somente em negócios. Ficaram amigos íntimos. Falavam sobre a vida, namoro e até sexo. E Amanda fazia questão de jogar seu charme para cima do rapaz e falar palavras soltas, as famosas indiretas. Alexandre, inexperiente, ficava cada vez mais confuso e desabafaba com outros amigos sobre a sua situação. Afinal, Amanda dizia que gostava de um cara, um caso antigo, além de ser uma mulher muito diferente dele.

Essa relação foi se estendendo por alguns meses, com altos e baixos. Ora Amanda não estava nem aí para Alexandre, e ora voltava, como se nada estivesse acontecido, com o chamego de sempre. O ponto alto dessa história toda foi, certa vez, quando os dois tiveram uma conversa, com altas revelações. Amanda explicitou seu interesse por Alexandre, envolvendo-o cada vez mais. Por conta disso, ele passou dias atordoado, louco para tê-la nos braços, mas ela disse que eles ainda teriam tempo.

Após esse episódio, Amanda novamente se afastou e começou a tratá-lo mal, alegando que desejava que ele fosse diferente, um pouco mais descolado. Alexandre ficou mais confuso, e ainda hoje, não sabe o que fazer quanto a isso, afinal ele não merece as ofensas ditas pela mulher amada.

Os dois continuam mantendo contato, porém é uma relação tensa... próxima, mas tensa. E pode explodir a qualquer momento"

Agora, vamos às questões:

- Estaria Amanda mesmo interessada em Alexandre, ou é apenas jogo, para produzir mais e melhor na empresa?
- Amanda é uma má pessoa, ou está tão confusa quanto Alexandre, por estar interessada em alguém tão diferente dela?
- Alexandre deve ceder, ou seja, abandonar um pouco seus conceitos quadrados e sua personalidade, para viabilizar esse romance?
- Os amigos de Alexandre devem intervir para o bem do companheiro?
- Alexandre deve esquecer essa paixão, e voltar a focar somente em sua vida profissional?
- Alexandre deve cortas laços com a (supostamente) malvada e interesseira Amanda?
(...)

Paixão confunde! Completamente...
Aposto que Alexandre acha matemática infinitamente mais fácil!

Nenhum comentário: