domingo, 20 de abril de 2008

Na Era dos Jetsons

Quando eu tinha uns sete anos de idade, ficava ansioso para fazer logo dez. Deveria ser muito legal ter dez anos, afinal esse é um numero bonito e redondo, além de ser formado por dois algarismos ao invés de um, o que na minha infantil cabecinha era algo de extrema importância para um individuo. Fiz dez anos, e as coisas não mudaram muito. Eu continuava criança e ainda tinha que acatar tudo o que os meus pais decidiam por e para mim.

Então, com essa idade, comecei a imaginar em como era ser adolescente. Mais liberdade, namoro, e muitas outras conquistas viriam com a adolescência. Bom, realmente veio um pouco disso tudo. Mas eu ainda preservava um pouco de infantilidade, em paralelo com algumas obrigações a serem cumpridas, e eu ainda não era o senhor das minhas decisões por completo.

Então, na adolescência, comecei a imaginar em como era estar na faculdade, ser adulto, saber dirigir e etc. E cá estou, iniciando essa etapa. Bom, como morador do mesmo teto que meus pais, é obvio que ainda devo explicações, mas agora possuo bem mais liberdade, já posso tomar minhas próprias decisões e meus pais se limitam apenas ao conselho.

As coisas mudaram dos dez para os vinte e um anos que tenho agora, e eu deveria estar apenas aproveitando o agora sem me encucar com o que está por vir. Mas acho que o ser humano tem um certo fetiche pelo futuro. Nunca pensamos somente no presente. E é seguindo essa teoria, que eu hoje fico imaginando como seriam as coisas lá pra frente. E não falo de um futuro próximo, dos meus cinqüenta anos e velhice. Vou mais além. Falo agora a respeito de um futuro bem distante, do qual eu, você e todos os vivos hoje não iremos participar.

Parece meio idiota ficar pensando num futuro do qual não faremos parte, mas se levarmos em consideração a porrada de filmes hollywoodianos sobre o assunto (“Inteligência Artificial” é um exemplo), perceberemos que a coisa é um tanto interessante. Parece tesão pelo desconhecido tentar imaginar em como será o nosso queridíssimo planeta Terra que abrigará nossos descendentes distantes. E é por causa desse tesão que brota de meu corpo, que eu agora faço essa previsão futurística para o mundo.

Acompanhem-me...

  • Clima e Vegetação

    Devido ao Aquecimento Global, as calotas polares da Antártida e Ártico Norte irão derreter, aumentando o nível da água nos oceanos. Com isso, os litorais de todos os continentes serão inundados. Assim, cidades como Nova Iorque, Washington e Amsterdã irão desaparecer do mapa. O Japão inteiro submergirá, e os japoneses sobreviventes irão migrar para a Antártida, um continente agora em terra firme e seco, e lá formarão uma sociedade retrógrada e frustrada.

    No Brasil, o nosso maravilhoso Rio de Janeiro também irá desaparecer com o avanço do mar. E Petrópolis, possuindo então as praias mais lindas do Estado, tomará as rédeas como a nova capital carioca. Teresópolis será como Niterói, uma adjacente invejosa.


    Numa tentativa infeliz de transportar a estátua do Cristo Redentor submerso para a pontinha do Dedo de Deus, sua cabeça será arrancada, antes mesmo dele ser desprendido do Corcovado. Com isso, teremos um medonho Cristo Redentor cheio de lodo e sem cabeça habitando vários metros debaixo d’água, e cobrarão muito caro por um passeio de submarino ao redor dele.

    O Monstro do Lago Ness passará a ser uma ameaça global após ter conquistado o oceano por conta da ligação do mar com o Lago Ness devido à inundação. Um grupo de pessoas acreditará que ele vai morar no interior do Cristo, usando a abertura da cabeça como entrada.

    Devido à exploração, a Floresta Amazônica dará lugar a um deserto tenebroso, e o Rio Amazonas será um novo Nilo cortando essa paisagem toda. Em contrapartida, o Nordeste será úmido e fértil, devido à transposição das águas do Rio São Francisco. Aliás, essa maracutaia não deve dar 100% certo. Engenheiros de merda (eletrônica estará off disso tudo) provavelmente devem calcular algo errado, e a nova foz do rio poderá ser em cima de Salvador, acabando com as micaretas, axé, macumba...
    Ah, pensando bem, dará certo sim.

  • Política

    Com a teimosia dos EUA em não assinar a porra do Protocolo de Quioto, o país causará ódio mortal nos outros após o derretimento das geleiras, sendo considerado o maior responsável pela catástrofe. Alegando um “Foda-se, já derreteu mesmo”, a presidência americana se auto-sabotará, e será dado início assim à 11ª Guerra Mundial, onde todos estarão contra os EUA. Os americanos serão derrotados, e alguns migrarão também para a Antártida, a terra dos perdedores.

    A China então assumirá o posto de maior superpotência mundial, e irá expandir sua cultura para todo o mundo, com a abertura de ainda mais filiais de pastelarias que irão compor o visual de cada esquina, inclusive nas ruas petropolitanas, substituindo assim os Mc Donalds.

    O conflito no Oriente Médio finalmente deixará de existir. Isso porque a Palestina será uma terra submersa, portanto inútil. Brigaram tanto por tantos anos, que quando o gelo derreteu, a água levou a porra toda a acabou com a palhaçada.


  • Tecnologia

    Cientistas irão possibilitar a implantação de DNA de plantas em seres humanos. Assim, a humanidade será transgênica e todos serão clorofilados. Isso permitirá a realização da fotossíntese por todos, e o problema da fome mundial estará resolvido. Uma mãe não mais ficará preocupada com a alimentação do seu filho enquanto ele só pensa em brincar com os amiguinhos debaixo do sol. E pegar uma corzinha poderá engordar. Tudo bem, todos serão meio verdes, mas acho que valerá a pena.

    O trânsito será outro problema resolvido, por incrível que pareça, mesmo com o número de meios de transporte particulares sendo bem maior. A solução está no fato de que os carros serão voadores, no melhor estilo “Os Jetsons”. O ar é o limite. O problema é que o número de acidentes também irá aumentar, afinal vai ser carro voador pra tudo quanto é lado. A legislação do trânsito será modificada. Leis do tipo “é proibido estacionar sobre edifícios públicos”, “é proibido voar abaixo de 10 metros para não haver colisão com árvores, casas, pessoas e etc” farão parte do dia-a-dia dos pilotos. Ah, os veículos consumirão hidrogênio. Mas e o petróleo? Haha... the end, meu filho.

    Nosso corpo se tornará um verdadeiro computador. Ao nascer, os pais cadastrarão a criança no People High Tech, uma espécie de Certidão de Nascimento do futuro. Assim, o bebê passará por uma operação que anexará em seu corpo artefatos indispensáveis como: celular, computador com Internet, transmuter (sei lá que porra é essa), sistema de telepatia, sistema de tele-transporte e alarme. As pessoas serão além de corpo, um conjunto de luzes piscantes referente a cada aparelho instalado. Vai haver artificialidade no pulso, braço, perna, peito, barriga... tudo vai piscar, em conjunto que outros coisas que já piscam hoje em dia, principalmente nas mulheres.


  • Saúde

    Câncer e AIDS serão tão banais quanto um resfriado é hoje. Bastam uns remedinhos, e pronto, a cura. Porém, a Dengue ainda será uma ameaça. Isso porque de tanto tentarem exterminar a porra do mosquito, somente os mais resistentes permanecerão. Com isso, os genes dos mais fortes serão passados por gerações de mosquitos, e sofrerão mutações ao longo do tempo. Então, no futuro, teremos um Aedes hiper turbinado, with lasers, maior, todo maneirão, com vários microespinhos venenosos e voará fazendo barulho e causando pânico. Sua picada será pior que de uma cobra venenosa ou de um escorpião. Será a praga dos séculos futuros, chamada Dengue++.

  • Sociedade

    Sexo virará assunto mais banal do que é hoje. Meninas menstruarão com cinco anos de idade em média e tanto elas quanto os garotos transarão pela primeira vez com sete, tembém em média. Vídeos de educação sexual nas escolas serão verdadeiros filmes pornôs, com a professore explicando cada passo para uma turminha 2ª série. “Isso é um boquete”. “Eu fiz bem melhor no Juninho no dia do aniversário dele de oito anos, tia”. “Ok, mas não se esqueça de usar camisinha se ele quiser te penetrar”.

    Os robôs farão parte de nossa sociedade. Assim como em “Inteligência Artificial” vai ter robô pra tudo quanto é coisa. Robô de serviços domésticos, robô amante sexual, robô que substituirá filho, robô que substituirá pai, robô como amiguinho de infância, robô dublê, robô cover... enfim, robô pra cacete, usados para alimentar nossa preguiça com tarefas diversas. A merda é se eles se tornarem tão inteligentes a ponto de quererem se rebelar. E acredite, isso deve acontecer. Talvez seja esse o fim da raça humana, com a chegada de robôs ao poder.


  • Mídia

    Uma prostituta assassina ex-presidiária e indiciada por estelionato, homicídio e tráfico vencerá o Big Brother Brasil 171. Todas a amarão, ela será a estrela do momento e capa de várias revistas, além de entrar no mundo pornô, causando admiração e arrancando elogios da população, principalmente no povo petropolitano, o mais moderno.

  • Artes

    Dois novos movimentos literários ganharão espaço: o mergulhismo, onde as cidades perdidas no fundo do mar serão retratadas nas pinturas, músicas e danças, com mistério e nostalgia; e o mecatronismo, onde robôs serão o tema protagonista de todas essas artes.

    Na música, o funk se tornará o ritmo brasileiro de uma vez por todas. Letras como: “Ai que robô gostoso, vem que vem, quero de novo” e “Uh, animal! Uh, animal! Olhar de fêmea humana, buraquinho de metal” farão sucesso entre jovens e crianças. Algumas melodias ainda terão o seu valor no futuro, mas terão de ser adaptadas, como “Sábado em Copacabana”, cantada por Maria Bethânia, o tema da finalizada “Paraíso Tropical”. Copacabana não existirá mais né, então a coisa vai ficar assim:

    Um bom lugar
    Para encontrar
    Rua Teresa
    Pra passear
    À Beira mar
    Rua Teresa
    Um bom lugar a meia luz
    Rua Teresa
    Eu esperei por esta noite
    Com dor e tristeza
    A noite passa tão depressa
    Só vou voltar depois da terça
    Se eu encontrar um novo amor
    Rua Tereeeeeesa.

    ***
Quer saber! Deixa o futuro pra lá.
Mas aí, como é ter 30 anos?

2 comentários:

Mauro de Bias disse...

Sensacional! Quase irretocável. Ri demais! Hauhauhahua.

Diego Martins! disse...

Vai que mais tarde inventam a pílula da eternidade? Sem petróleo estarei desempregado :(