domingo, 1 de junho de 2008

miliRenan

Estudei, vi a final do Çoletranu do Huck, fui tomar um banho, peguei meu mp3, deitei na cama e fiquei lá escutando minhas músicas. O tempo frio, nada programado para o sábado à noite (domingo não me escapa. Update: escapou!). Tudo isso fez com que eu ficasse com o fone de ouvido detonando meus tímpanos enquanto olhava para o teto, no maior ócio. Então, viro minha cabeça e avisto uma das gavetas do guarda-roupas. A última delas, no baixo, discreta, menor que as outras, quase nunca é aberta. Mas é lá que ficam todos os álbuns de fotografias tiradas pela minha família até hoje.
Por que não? Considero um passatempo divertido e nostálgico olhar fotos antigas. Tão divertido que me empolguei e pensei logo em postar aqui algumas. E para ser mais específico, escolhi as de quando eu era criança.
Apreciem!
Começo com quatro fotos de um passeio que eu e meus pais fizemos para São Loureço, MG, em 1993 (eu com seis anos). Escolhi essas porque apesar da pouca idade, eu me lembro bem desses dias que passamos lá, com muitos detalhes. São especiais. Só não lembrava a data, mas o organizado dad faz questão de colocar a data na contracapa de todos os álbuns, além de mencionar o local e a ocasião.
Eu não me lembro (contradição), mas com certeza estava com medo de tirar essa foto. Eu tinha mó pavor de piscina, lago, mar, enfim... coisas com muita água. Fotos depois, vocês verão que eu superei essa palhaçada.

Passeio de pedalinho na forma padrão de um cisne, que mais parecia o bico de um tubo de mostarda contendo catchup.

Segurando a mão do pai não por ser super carinhoso, mas sim por estar com um medo do cacete de cair na água.

Po, esse hotel em que ficamos não havia uma criança hospedada sequer. Nenhuma. Era só eu para todo o playground. Mas diz aí, gatinho eu né?
Voltamos mais ainda, agora para 1991.

Eu de sunga preta com quatro anos e meu primo Dio com oito tentando jogar uma sinuquinha. Sobre a sunga preta, reparem bem em como ela se posiciona em meu soft bumbum. Não, não reparem! E minha mãe nem pra dar uma ajeitada nela antes de fotografar.

Um amigo do meu pai, sua esposa, minha mãe no lado direito, Dio perto da bicicleta, e eu, meio loiro, com língua de fora e com as mãos formando um gesto que hoje eu considero obsceno.
Não lembro o ano em que essa foto de baixo foi tirada, mas creio esteja entre 1990 e 92.
Sou eu no lado direito com meu primo David. A sempre boa e aconchegante casa da vovó. E por falar em casa da vovó, vamos ao falecido vovô, numa das fotos que mais gosto.
Por você já ter visto as fotos anteriores, creio que não precise que eu me identifique nesta. Até porque uma certa camisa linda o faz.
Seguindo com as imagens familiares, vamos para Taubaté, SP, voltando mais ainda, para 1990, aniversário de noventa anos de uma das minhas bisavós, hoje também falecida como é de se esperar. Aquele tipo de festa que reúne primos e tios distantes de enésimo grau que nem conhecíamos.

Nessa primeira estou eu com 3 anos ao lado da minha prima Morena. Convivemos até hoje, assim como todos os outros primos.


Nessa outra, todos educados se posicionando para o foto ao lado da bisa, e eu chegando para atrapalhar tudo.
Agora é a hora da foto-superação do medo de cair na água.

O pódio era feito com caixas de cerveja, mas to lá eu em primeiro lugar da competição de natação. Eu era realmente bom nisso. Modéstia à parte, não faço idéia de quantas vezes conquistei esse topo entre os 6 e 13 anos. Depois, eu comecei a enjoar das aulas de natação, faltava muito, e fui ficando fraquinho no ranking, até que abandonei de vez.
Partimos agora para a sessão "fotos meigas de colégio que hoje nos causam vergonha". Mas apesar do leve constrangimento, decidi postá-las.

Essa aí até que passa. Estou mais ou menos decentemente bonitinho com meus 3.5Kg de beiço.
O problema dessa é que estou bonitinho demais.

Essa aí nem se fala. Um verdadeiro mico. Desfile de 7 de setembro.
E agora, para finalizar...

... melhor deixar pra lá. Village People total. Não lembro, mas eu ainda cubro na porrada quem pediu para uma criança inocente se vestir e posar assim.
Bom galera, é só. Isso é apenas uma pequena parte das minhas fotos de criança que tenho aqui. Guardadas com muito cuidado e carinho para que eu possa apreciá-las (ou não) no ano que vem.

Nenhum comentário: