sábado, 14 de junho de 2008

Big Bang

Oi,

Você já deve ter ouvido falar no Big Bang né?
Segundo a Wikipédia, o Big Bang é a teoria científica que diz que o universo emergiu de um estado extremamente denso e quente há cerca de 13,7 bilhões de anos. Ou seja, toda a matéria que existe hoje no universo era altamente concentrada, com temperatura elevadíssima, e que por algum motivo começou a se expandir, perder densidade, esfriar, e dar formato às estrelas, planetas e outros corpos celestes dos quais já ouvimos falar. Para a comunidade científica, essa é a teoria acerca do início dos tempos aceita atualmente.

O universo continua sendo e ainda será por muito tempo um mistério cada vez mais difícil de ser desvendado completamente. As distâncias entre os corpos celestes no espaço são medidas em anos-luz (distância que a luz percorre em 1 ano). Sabendo que a velocidade da luz é de 299.792.458 (aproximadamente 300 milhões) metros por segundo, estamos lidando, portanto, com quantidades tão absurdamente elevadas, que não conseguimos buscar uma boa analogia para termos noção do que esses números representam. Mesmo sabendo que se tratam de valores muito altos, nossa idéia sobre eles ainda permanece aquém do que eles realmente são.

Dando um zoom astronomicamente gigantesco no universo em determinado ponto, podemos chegar ao Sistema Solar, nosso amigo conhecido desde o Ensino Fundamental.

O Sol nada mais é do que é uma das incontáveis estrelas que foram formadas pelos destroços do “Big Bang”. E a poeira em torno do sol recém-nascido começou a dar origens aos planetas que atualmente o orbitam.

Então é basicamente isso. Trata-se de uma explosão com origem não muito bem explicada, que jogou matéria, antes condensada num ponto, para todos os lados e que num processo de bilhões de anos formou tudo o que sabemos hoje do universo. Agora vamos dar um novo zoom, dessa vez no Sistema Solar. Chegamos então ao nosso íntimo planeta Terra.

Já pararam pra pensar em como a dinâmica do nosso planeta é interessante? A água brota da terra, e vai escorrendo pelos rios até desembocar no mar. Depois é evaporada e volta para a terra através da chuva. Os seres vivos absorvem o gás oxigênio da atmosfera e emitem o gás carbônico como resultado do processo. Este, por sua vez, é absorvido pelas plantas, árvores e algas através da fotossíntese a fim de produzir alimentos para elas mesmas, resultando, ao fim do processo, no retorno do gás oxigênio de volta à atmosfera.
Parece que tudo se encaixa de maneira perfeita.
E as paisagens naturais? As montanhas, o pôr-do-sol na praia, rios e cachoeiras. Aquele céu completamente azul deixando os primeiros raios de sol da manhã invadirem a varanda da sua casa. A sensação gostosa que é passear por um parque verde ou um jardim ao lado de uma pessoa agradável, enquanto a brisa da tarde e os sons da natureza envolvem o assunto dos dois. A imagem e harmonia da natureza é um verdadeiro convite para casais apaixonados em busca de inspiração para o amor que sentem um pelo outro.

E ainda há a beleza da vida. A simplicidade dos animais. As formigas, exemplo de organização e trabalho. As abelhas, que produzem o delicioso mel, a lagarta que de repente se fecha num casulo e através da metamorfose sai de dentro dele um inseto mais bonito e incrivelmente diferente. O cão, exemplo de fidelidade. A imponência do leão, rei das selvas.

E nós, seres humanos? Nosso organismo é de uma complexidade que me soa milagrosa. As células, que nos compõem e são responsáveis por cada função dentro do nosso corpo, formando os vários sistemas que nos mantém vivos. Nossa capacidade de locomoção e nossos sentidos, que nos permitem falar, degustar, ouvir, farejar e sentir o ambiente que nos cerca. E tudo é comandado pelo nosso magnífico cérebro, mais poderoso que o melhor computador da atualidade. Acredito que os projetistas jamais conseguirão construir uma máquina igual ao nosso cérebro.

A inteligência do homem é por tantas vezes surpreendente. É incrível a nossa capacidade de aprender, pensar, arquitetar, calcular. Uma pena que muitas besteiras sejam feitas também. Mas quando a nossa inteligência é usada em equipe e com seriedade, verdadeiras maravilhas são produzidas. Grandiosidades essas que nos fazem perguntar se somos feitos somente de carne e osso.


Eu não sei as poeiras de estrelas, mas nós temos ainda a maior das capacidades, a de amar.
É quando um homem olha para uma mulher, e se apaixona pelo seu jeito naturalmente encantador, conseguindo ver, nos olhos dela, a futura mãe dos seus filhos. O forte sentimento que os unem e levam-nos à união pelo matrimônio, sacramentando assim o desejo que possuem de viverem ao lado um do outro.

O amor de uma mãe por seu filho. A preocupação, a aflição, o desejo que possui de só querer o bem para ele, mesmo que às vezes ela não saiba como agir. Amor também esse que não precisa vir de uma mãe e nem de um pai biológico, mas sim de pais adotivos, outros parentes, ou alguém que ama outro como filho e que daria sua vida por ele. Alguém que se propõe em abdicar de sua vida em função da felicidade de outra pessoa merece muito mais do que ser classificado como Homo sapiens.


O belo sentimento de fraternidade que une as pessoas. A generosidade e solidariedade que brotam lá de dentro (ou pelo menos deveriam), e nos fazem dizer palavras de carinho e consolo para alguém que sofre. A amizade entre duas pessoas, que faz com que saibamos aquilo que nosso amigo sente e quer dizer somente pelo olhar. O poder do abraço e do cafuné que nos pertence para que usemos com nossos afetos. É incrível a capacidade do ser humano em fazer bem para o próximo apenas estando ao lado, servindo de ombro amigo.


E o que falar das crianças? Ingênuas, puras. As quietas e as arteiras, todas sempre levam um pouco de sua pureza e alegria para adultos estressados. E partindo para o outro extremo da vida, temos os idosos, que apesar da grande diferença de idade, são muito parecidos com as crianças em sua ingenuidade e leveza. As rugas aparecem, o corpo torna-se mais vulnerável, e a capacidade física fica debilitada. Entretanto, a sabedoria adquirida ao longo de sua vida é imensa. Uma pena que nem todos gostam de ouvir as coisas úteis que eles tem para compartilhar.


Mas sabemos que nem tudo no planeta Terra são flores. Afinal, temos gente ruim vivendo por aqui. Pessoas que mentem, roubam e matam. Gente que manipula e fere. Há também os pesados fatos da vida. As tragédias, a perda de um ente querido, o fracasso no amor e no trabalho. Sentimentos ruins como a inveja e a ira, que mostram nossa face mais desagradável (e tão humana), e fazem com que a gente chegue no fundo do poço.

Mas não haveria luz se não fossem as trevas, não é mesmo? E é aí que o ser humano então se revela a criatura mais surpreendente que existe. Nós temos garra, temos força de vontade. Vontade de lutar pela vida, lutar pelos nossos direitos e desejos. Lutamos constantemente todos os dias. Lutamos na escola, faculdade, trabalho. Lutamos contra os fatos desagradáveis da vida. Perseveramos em nosso talento e sorte, a fim de realizarmos nossos sonhos.



Sonhos esses que nos elevam. Essa vontade que nos torna maiores do que realmente somos. E então nós percebemos como nosso corpo é limitado. O homem deseja voar, mas não tem asas. Queremos abraçar e ganhar o mundo, mas somos fisicamente pequenos demais para isso. E aí, então, que descobrimos uma coisa... a nossa alma. Ela que grita e que, curiosamente, não parece ser feita de carbono e nem de resto de pó galáctico.


Ah, Big Bang, quanto mistério...
Mas como Tu és maravilhoso.

2 comentários:

Bernardo disse...

Eu não gosto de idosos que querem compartilhar conceitos de teoria eletromagnética comigo...

Renan Mariano disse...

Ok, todos os idosos, menos ele