terça-feira, 28 de outubro de 2008

ICQ do amor

 Nota: Este post seria maior e falaria sobre esquisitices no MSN. Mas acabei desviando o assunto, e sem ter tempo para escrever mais, postei o que segue abaixo.

tapeta-icq-velkaNão há duvida que a ascensão de programas que permitem a troca de mensagens instantâneas causou uma revolução antes impensada. Começou pelo ICQ, se lembram? Não sei como está a versão atual, pois nunca mais me interessei para baixá-lo. Mas lembro que o que eu tinha há uns 7 anos atrás era o programa que eu mais usava no meu antigo PC.

Era espantoso o fato de alguém que você nunca viu na vida do nada aparecer no seu desktop te chamando para um bate papo. Para ser sincero, isso ainda me assuta  um pouco. Mas imagine antes, no início dessa onda... a sensação era bem maior. E o ICQ já começou como um bom programa. Não deixava a desejar. Tá certo que não permitia uma foto de perfil no canto da janela de chat, e muito menos uma conversa via webcam e áudio, mas não se esqueçam que eu estou falando de 7 anos atrás. Para aquela época, a funcionalidade do programa era admirável.coração

O ICQ me permitiu não só conhecer outras pessoas da minha idade e de todo o Brasil, foi além. Eu tinha um caso de amor por ele. Ou melhor, através dele. Com 14 anos, "conheci" virtualmente a K, uma menina de 13 anos do Paraná. K se mostrou uma pessoa especial logo nos primeiros chats. Soma-se a isso o fato dela falar que era loira e aspirante a modelo. Passávamos horas a fio conversando sobre amenidades, até que rolou uma atração infanto-virtual-juvenil fulminante. Semanas depois, eu a pedi em namoro em  alguma madrugada qualquer na frente do computador, e ela aceitou, apaixonada. Não riam ainda.

K e eu jurávamos amor eterno. Eu dividia o meu amor por ela entre meus poucos amigos do ensino fundamental. Ela também fazia o mesmo. Devo ter ficado famoso por lá, pois segundo as amigas dela que também falavam comigo às vezes, K era uma menina muito bonita e popular entre os rapazes e que eu era um cara de sorte. Mas tudo o que é bom (e virtual) dura pouco. Depois de um mês de "namoro", K me disse que estava confusa, pois começava a gostar de um outro menino de lá. Eu, claro, com muita maturidade, relutei até o fim. Em vão. Naquela noite fui dormir na fossa, escutando algum pagodinho melancólico do Só Pra Contrariar, com os olhos cheios d'água. Ridículo? Eu mencionei que a gente não se conhecia nem por foto?

Bom, vocês podem até pensar que eu poderia ter sido enganado, e que na verdade quem estava do outro lado do computador conversando comigo era um pedófilo apelidado de João do Gás, de 53 anos, bigodudo, barrigudo, e que ganhava dinheiro vendendo botijas pelo bairro com o seu velho caminhão. Mas não. K era realmente quem dizia ser. Comprovei há cerca de 1 ano atrás (isso foi depois de 5 anos) através do orkut e MSN. É loira, bonita e inteligente. LOIRA E INTELIGENTE! Fiquei impressionado. Talvez eu é que tenha sido uma decepção para ela... "Ah, era isto? Puta que me pariu!". Hoje em dia K é uma amiga do orkut. De vez em quando a gente troca umas poucas mensagens, sem intimidades.

É sempre divertido lembrar dessas e de outras coisas que vieram junto com o meu primeiro computador. Sabe... a virtualidade é uma ferramenta que possibilita unir facil e rapidamente as pessoas, mas não é forte suficiente, e quando ausente, as separa e pode torná-las indiferentes com a mesma simplicidade.

domingo, 12 de outubro de 2008

Estás agradando, rapaz?

E lá vem eu mais uma vez falando de mulher. Mas não me julguem. Eu já passo grande parte do meu tempo envolvido com cálculos. Pelo menos aqui nesse blog posso me dar o luxo destrinchar sobre assuntos mais populares e interessantes.

Bom, eu tinha uma dificuldade IMENSA de decodificar as mulheres que chamavam a minha atenção. Eu jogava meu charme (ui!) e o que eu recebia em troca era bem confuso para mim. Não sabia se ela havia gostado ou não, e se eu poderia prosseguir com o cortejo (*palavra brega detected*) ou não. Sei que parece idiota, afinal como assim um cara não sabe se está agradando? Enfim, eu não sabia até algum tempo atrás. E não me recriminem!

Mas agora eu estou bem melhor, porém ainda na escolinha. E acho que nunca vou sair. Aliás, alguém consegue se formar nela? Well, o fato é que já dá até para tirar uma onda, provocar um pouco, instigar, fazê-la de boba e tudo mais... Brincadeirinha!... Ok, nem tão brincadeirinha assim, afinal não há nada mais gostoso do que motivar uma mulher. Quer dizer, teeem :p... mas ah porra, me deixe concluir, espírito da dispersão.

Sabe aquela coisa de "a primeira impressão é a que fica"? Eu não acredito nisso. O ser humano não pode ser tão cruel assim ao ponto de marcar alguém somente pelo o que esse se fez aparentar em um primeiro contato. E já tive algumas provas de que isso não vale, coisas do tipo: "Po, Renan, eu achava outra coisa completamente diferente você do que eu vejo agora". Você também já deve ter passado por isso. É uma situação bem comum. E aí então a pessoa começa a agir conforme a imagem que você passa no momento. E isso é bem legal. Mostra que nem tudo está perdido.


O problema se faz presente quando a oportunidade é única (ou é uma a cada muito tempo depois). Isso é muito comum no processo "Mulher, to te cantando". Se você fizer as coisas erradas num primeiro instante, meu caro, sabe-se lá quando ela vai lhe dar condições para que você possa se corrigir, não é mesmo? E então, a coisa que poderia fluir a curto prazo, se torna so so far away. Por isso é importante sim a primeira impressão, apesar de não ser ela e a que fica definitivamente. A não ser que você queira ou seja realmente aquele traste que mostrou ser.

Mas o que é preciso fazer então para se dar bem logo de cara? A fim de que se obtenha sucesso na primeira etapa da conquista, a jovem L., de 23 anos, julga extremamente importante "analisar o comportamento alheio". Para ela, "isso é muito vantajoso e faz você se conhecer melhor". L. diz ainda que o óbvio muitas vezes não é óbvio porque as pessoas não treinam. "As pessoas são diferentes umas das outras, mas mantém uma característica dentro de um grupo de possibilidades (...) O fácil, sem exercício, se torna difícil".

Além de L., outras três jovens moças tiveram saco (ou não) para responder 5 perguntas básicas sobre o tema. Parecem perguntas óbvias, que merecem respostas óbvias. Mas algumas delas são bem interessantes. Não que isso vá resolver todos os problemas masculinos, mas pelo menos cria um tópico interessante (?) para este blog. Vamos lá...



Tamires, 15 anos. "Eu digo que não mesmo!"

1 - O homem é que deve chegar na mulher, ou hoje em dia vale o inverso?
Hoje em dia tá valendo o inverso, mas ainda prefiro que o homem chegue na mulher.

2 - Cantadas básicas que todo mundo conhece ainda funcionam?
Depende da pessoa que vai receber. Comigo pelo menos, não funciona não rs.

3 - Em um primeiro contato, a beleza externa do cara pesa MUITO?
Ahh pesa, pode ter certeza disso rs. Só depois que isso importa menos.

4 - Que sinais você dá quando NÃO ESTÁ afim do cara?
Eu digo que não mesmo, e com uma cara de, tipo, mandando ele nao insistir.

5 - Que sinais você dá quando ESTÁ afim do cara?
Po, um sorrisinho, uma carinha ingênua...


Amandinha, 20 anos. "Aquela olhadinha fatal..."

1 - O homem é que deve chegar na mulher, ou hoje em dia vale o inverso?
Para mim o homem deve chegar. Tem muitas mulheres que chegam, mas quando é o homem que o faz é bem melhor.

2 - Cantadas básicas que todo mundo conhece ainda funcionam?
Eu acho que sim, mas é sempre bom inovar, você não acha?

3 - Em um primeiro contato, a beleza externa do cara pesa MUITO?
Prefiro a beleza interior. O importante é a pessoa ser bonita por dentro. Mas num primeiro contato... sim.

4 - Que sinais você dá quando NÃO ESTÁ afim do cara?
Saio de perto dele, procuro olhar para o outro lado...

5 - Que sinais você dá quando ESTÁ afim do cara?
Bom... aquela olhadinha fatal, dando a entender que eu estou afim, entendeu?


T., 19 anos. "Fico na minha, e o cara que fique investindo"

1 - O homem é que deve chegar na mulher, ou hoje em dia vale o inverso?
O homem que chegue!

2 - Cantadas básicas que todo mundo conhece ainda funcionam?
Acho que ainda funciona, mas depende de quando, como e por quem é utilizada... caso contrário é melhor inovar

3 - Em um primeiro contato, a beleza externa do cara pesa MUITO?
Se o cara tiver assunto não... não precisa ser nenhum príncipe. Mas digamos que ter cultura é essencial...que tal ler o jornal? :P

4 - Que sinais você dá quando NÃO ESTÁ afim do cara?
sinal nenhum... me afasto.

5 - Que sinais você dá quando ESTÁ afim do cara?
Nenhum sinal também... se der muitos sinais eles cagam pra isso. Fico na minha e o cara que fique investindo.


L., 23 anos. "Quebra todo o romantismo, não tem futuro"

1 - O homem é que deve chegar na mulher, ou hoje em dia vale o inverso?
Sei lá. Acho que os homens só não deveriam ficar assustados se isso acontecer, ou prejulgar a menina por isso.

2 - Cantadas básicas que todo mundo conhece ainda funcionam?
Definitivamente não. Só pode ser usada depois de se conhecer a pessoa e em tom de brincadeira, e que esteja bem claro que é uma brincadeira, senão a pessoa passa por completo idiota. Imagina se os dois se casam e contam para os filhos: "meu filho, quando mamãe conheceu papai, ele me cantou com a frase mais barata do mundo". Quebra todo o romantismo, não tem futuro, huahuahua.

3 - Em um primeiro contato, a beleza externa do cara pesa MUITO?
MUITO. É a apresentaçao pessoal, é o marketing e é a única coisa que a pessoa conhece dele.

4 - Que sinais você dá quando NÃO ESTÁ afim do cara?
Poxa, isso é bem característico de todo mundo... é a linguagem corporal. Muito simples: a pessoa se afasta, vira o rosto pro lado contrário, cruza os braços, olha em outra direçao, vira o corpo...

5 - Que sinais você dá quando ESTÁ afim do cara?
Em geral, quando alguém está afim, sorri. Mas em relação às mulheres é mexer no cabelo, ficar sem graça, olhar nos olhos, mas nao fixamente...



Estou me sentindo O Jornalista.
... de merda, mas estou!