terça-feira, 26 de janeiro de 2010


Oi gente,

Ando meio desanimado e sem criatividade para postar, principalmente textos maiores. Além do mais, estou com outras prioridades. Mas logo logo as coisas se ajeitam. Até!

sábado, 16 de janeiro de 2010

Sintomas se espalham

Olá pessoal!

Creio que o texto de maior repercussão neste blog seja o Sintomas de um homem apaixonado. Depois de quase 2 anos de escrito, vez ou outra recebo comentários nele. E também já copiaram. Uma menina - cujo blog não existe mais, mas o cache dele prevalece - colocou o meu texto lá. E foi legal, porque ela deu o devido crédito a mim, linkando o meu blog. O texto também foi parar num blog de dicas, numa seção que trata de saúde (O.o). Essa pessoa o modificou (ficou até melhor, admito), mas nem citou a fonte.

De qualquer forma é óbvio que eu fico satisfeito. Mesmo sendo um texto desprovido de um caráter mais sério - como a maioria dos que estão aqui - é muito bom saber que as pessoas não só te leem, como também apreciam o que você escreve ao ponto de te copiarem.

Mas gente, não custa nada fazer uma referenciazinha né :P

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

E assim vou mudando…


Olá amigos,
Este é o primeiro post de 2010. Estava demorando né?

Pois bem. Hoje eu quero falar de mudanças. Minhas mudanças, para ser mais específico. Algumas delas foram ocorrendo ao longo de alguns anos, outras somente no ano passado. Listarei algumas.


Video Game

Como eu era: Joguinhos eletrônicos eram a minha paixão na infância e na adolescência. Nossa, como eu curti o meu velho Super Nintendo! Bons tempos! Ficava horas sozinho jogando, alugava e comprava jogos, e também chamava a galera para brincar comigo. Fazíamos campeonato, gargalhávamos muito. O dia passava rápido, e ao fim dele o meu quarto ficava com aquele cheiro de nhaca típica de moleques na puberdade.

Como sou hoje:
Eu jogo pouco; não ando mais com saco. Só toquei no PlayStation do meu irmão quando ele ganhou, por causa da novidade. Não joguei mais após isso. Nas raras vezes em que jogo, são roms ou games para PC. E posso até começar empolgado, mas largo logo. Salvar um jogo? Não sei mais o que é isso. Creio que a perda dessa característica é o que me faz fugir do esteriótipo de nerd. Porém o fato de eu cursar Engenharia Eletrônica ainda me soma pontos nesse quesito.


Razão e emoção

Como eu era: Nunca fui frio; mas eu era menos emotivo. Já até fui considerado “safado, cachorro, sem-vergonha”. Vê se pode? Logo eu. Mas eu já fui um rapaz mais desprendido afetivamente. Não que eu não me preocupasse com as pessoas, mas eu pensava em mim antes.

Como sou hoje: Estou passando pelo momento mais emotivo da minha vida. Não, não vou fazer chapinha no meu cabelo e nem pintar os olhos. O fato é que estou menos racional do que eu era. Me preocupo mais com meus amigos, fico reflexivo com mais frequência. Coisas que eu considerava pequenas passaram a me atingir. Enfim, fiquei mais “fofo”; mas não sei até onde isso é bom.


Palavrões

Esta talvez seja uma consequência do item anterior.
Como eu era: Falava com frequência. Não era uma Dercy Gonçalves da vida, mas eles integravam sim o meu vocabulário numa conversa informal. “ Blá, blá, blá, po*** ”, “ Blá, blá, blá, cara*** ”, e por aí vai.

Como sou hoje: Evito ao máximo. Se xingo, é porque sai por impulso. E não gosto quando acontece; me sinto mal. Acho um tanto nojento falar e escrever. Há alguns meses atrás eu não colocaria os asteriscos acima. Falaria na lata. Fod*-**.


Forma física

Como eu era: Forma física de graveto. Magrelo toda a vida, as únicas coisas que salvavam eram meus ombros largos, frutos de alguns anos de natação. Fora isso, eu era digno de pena e de muito feijão.

Como sou hoje: Melhor. Entrei na academia no início do ano passado e consegui mudar algo. As pessoas já comentam; alguns elogiam (rs). Não quero (e acho que nem conseguiria) ficar bombado, mas pretendo ainda ganhar mais corpo. Quero ficar gostoso esse ano.


Relação com os estudos

Como eu era: Dedicado ao extremo com os meus afazeres acadêmicos. Chegava a ser chato. Fazia tudo perfeitamente. Era impecável. Até o fim do ensino médio eu não estudava com frequência. Achava tudo muito tranquilo. Somente uma semana antes da semana de provas é que eu estudava todas as matérias. E dava certo. Fui uma referência, haha. 

Como sou hoje: Um aluno mediano. Claro que continuo me dedicando; mas esses 4 anos de engenharia me esgotaram. Chuto o balde da perfeição. Ainda bem que está acabando. Só preciso de um último suspiro para terminar o a faculdade e fazer provas de concursos públicos. Creio que não terei pique para emendar num mestrado; por isso quero estagiar logo, visando um emprego assim que eu terminar a faculdade. Resumindo. Aquele Renan extremamente estudioso e focado que muitos conheceram está cada vez mais desaparecendo. Mas eu quero que ele volte. Eu gostava e vou precisar mais dele.

***

Claro que existem muitas outras mudanças que ocorreram em mim; mas estas são as que consegui lembrar para escrever logo um texto de abertura para 2010. De maneira geral talvez eu tenha piorado, não sei. Mas a vida é assim mesmo. O cenário muda e a gente também.