sábado, 31 de dezembro de 2011

Promessas para o Ano Novo

A virada do ano costuma despertar em nós sentimentos diversos que nos levam à reflexão. É de maneira quase involuntária que fazemos um balanço geral da nossa vida nessa época. Relembramos nosso passado, repensamos nosso presente e replanejamos nosso futuro. É impossível não pensar em algumas mudanças. E é baseado nesse desejo de mudança que acabamos prometendo tomar certas atitudes. Segue abaixo a lista do que mais ouço/leio o pessoal prometendo por aí.


Vou emagrecer- “Vou emagrecer”

Eu nunca tive problema com excesso de peso. Pelo contrário, gostaria até de pesar mais. Mas o que vejo de gente (principalmente mulheres) batendo o martelo na convicção de que no próximo ano apresentará uma silhueta melhor não está… na academia. Isso mesmo. Passam as festas de fim de ano, chega janeiro, fevereiro, e a academia fica muito mais cheia de gostosas do que de gordinhas, como sempre. E a promessa? Bom, se o fulano ou fulana é saudável mesmo estando acima do peso, adora comer e, principalmente, já está namorando com alguém (e portanto não quer emagrecer no desespero de conseguir um relacionamento), geralmente a promessa vai por água abaixo. Ou melhor, por lasanha goela abaixo.


- “Vou juntar dinheiro”

Essa tem mais a ver comigo. E eu até consigo juntar. Mas nunca é para o longo prazo. Poupo no primeiro semestre para gastar em algo caro no segundo. Tem sido mais ou menos assim. Porém, tem gente que faz planos mirabolantes. “Vou começar a juntar dinheiro para comprar uma casa!”. Nada contra, oras! Acho muito válido. Mas tem gente que faz promessa no calor dos fogos da virada e esquece de sentar em janeiro e fazer um planejamento financeiro mais sério. Considerando minhas condições e minha personalidade, minha tática é um pouco diferente. Eu nunca penso “vou juntar dinheiro para fazer tal coisa”. Jamais especifico. Apenas junto. Gastarei em quê? Em breve descubro.


- “Vou namorar”

Essa é uma promessa complicada, pois não depende 100% de você. Você não pode prometer que vai encontrar alguém que te fará tremer as pernas no próximo ano. Ninguém pode planejar uma paixão. Ou, no caso de já existir alguém, não pode prometer que essa pessoa de quem você gosta aceitará o seu pedido de namoro. Só existe uma situação em que você tem esse tipo de controle: quando você tem a certeza de que alguém gosta de você e, portanto, aceitaria um pedido de namoro seu. Mas, convenhamos, se você espera o próximo ano para tomar uma atitude, significa que talvez você não esteja tão afim assim. E se já é difícil cumprirmos promessas que nos empolgam, imagine uma que não nos empolga…


- “Vou terminar o relacionamento”

Ao contrário da promessa anterior, essa depende 100% na você. Na teoria. Já na prática a coisa se torna um lenga-lenga insuportável. Tudo culpa daquele sentimento que você ainda tem, mesmo que a relação ande te fazendo mal. O casal termina, mas não se desvincula completamente. A saudade aperta e um fica correndo atrás do outro. Concluo da mesma forma que na promessa anterior: se você espera o próximo ano para terminar um relacionamento, é sinal de que você ainda não sabe bem se quer isso. O mais importante é prometer que as coisas que te fizeram mal não vão mais se repetir no próximo ano. Se isso vai culminar em um rompimento definitivo ou não, isso você saberá depois.


- “Vou estudar mais”

Essa era uma promessa que eu vivia fazendo na época do vestibular e no início da faculdade. Hoje em dia não. Não quero estudar mais. Quero apenas manter minha motivação para estudar o que preciso estudar. É diferente. Enfim, cumprir essa promessa de forma satisfatória envolve basicamente duas coisas: a prioridade (foco) que você dá a isso na sua vida e o fato de começar. Você não vai estudar mais se os estudos não figurarem lá em cima na lista das suas prioridades reais. E tem que começar. Evitar adiamentos. Adiamentos frustram. Depois de começar, o estudo flui mais naturalmente. E essa coisa de que é necessário abrir mão das diversões é uma grande besteira. Talvez seja necessário DE VEZ EM QUANDO você fazer isso, mas longe de ser algo frequente. Quem sabe organizar seus horários não precisa deixar de se divertir.


- “Vou praticar o bem”

Tem gente que desenvolve grandes sentimentos altruístas no Réveillon. Muito bonito. Mas de que adianta você querer visitar e doar dinheiro para um orfanato se você é daquele tipo de pessoa que destrata aqueles que convivem com você? E isso vale para mim também. Muitas vezes eu ajo (ajo - palavra esquisita, parece que tá errada!) com impaciência com os meus pais, irmão e amigos. E desnecessariamente. Confesso que não lembro de ter virado algum ano pensando em ajudar mais as pessoas, mas eu sempre estou querendo ser alguém melhor. E tento. O difícil mesmo é conseguir.


- “Vou fazer algo que eu sempre quis fazer”

”Vou aprender a tocar algum instrumento”. “Vou fazer um novo curso de línguas”. “Vou viajar para aquele lugar que eu desejo conhecer”. São várias as possibilidades. O problema é adequar a novidade a nossa rotina e condição. Uma coisa é termos vontade, a outra é termos disposição. Eu, por exemplo, tenho vontade de aprender a tocar algum instrumento. Mais especificamente, teclado. Mas não está nos planos para o próximo ano comprar um. Até poderia me programar para isso, mas ainda não estou disposto a tal. Porém, acho importante que em cada ano façamos pelo menos uma coisa que nunca fizemos e da qual sempre tivemos vontade. Toda boa novidade é extasiante. Dá um upgrade na vida da gente. Ainda pensando no que poderei fazer…




***

Desejo a todos os que leem esse blog um maravilhoso 2012! Que as promessas de vocês saiam do papel e que, ao final do ano, quando vocês estiverem fazendo novo balanço, percebam o quanto as coisas mudaram para melhor. E tudo graças às atitudes de vocês! Não há nada mais gratificante do que bons resultados de projetos de vida que foram bem executados. Felicidades a todos!

Nenhum comentário: