segunda-feira, 2 de junho de 2014

Banheiro masculino


banheiro_masculino
Todos os homens já se perguntaram pelo menos uma vez na vida qual o motivo que leva as mulheres a irem juntas ao banheiro. Para mim sempre pareceu óbvio: ajuda mútua.

Mulher sempre precisa sentar pra fazer as coisas. Quer dizer, algumas mulheres dizem que fazem agachada, mas sem encostar na privada; deve ser uma cena grotesca. De qualquer forma, como sempre carregam bolsa, a tarefa não deve ser das mais práticas sem ajuda. Daí uma cuida da bolsa do lado de fora do box (é box também o nome? ou box é só quando tem chuveiro?), enquanto a outra se alivia lá dentro.

Mas também pode ser motivo o fato de que nenhuma mulher se sente confortável em ficar sozinha na mesa do bar com os rapazes. Daí, acabam acompanhando a amiga. Soa um tanto arcaico, mas é apenas um costume social. E não acho ruim. Além do mais, os caras também vão poder ficar à vontade para certos papos enquanto as mulheres estão no banheiro. Faz bem para ambos os lados. Eu aprovo e gosto das particularidades e diferenças entre homens e mulheres, tenham eles a sexualidade que tiverem. Acho socialmente interessante. Enfim.

Talvez outro motivo para as mulheres irem juntas ao banheiro, pensando aqui ser até mais determinante, seja o tititi. Ora, quer lugar melhor do que o banheiro feminino para isso, longe dos ouvidos dos homens? As grandes confidências femininas talvez sejam trocadas entre um retoque de batom e outro na frente do espelho. Eu não duvido disso. No filme “Os normais 2”, logo no início, há um cena hilária de mulheres no banheiro. Recomendo.

Agora, por que no caso dos homens é tão diferente? Simples: puro machismo. Reza a lenda que homem de verdade não vai ao banheiro na companhia de outro homem. Quando isso acontece, as pessoas logo sacaneiam dizendo que um vai ‘segurar’ para o outro, talvez numa alusão ao que acontece com as mulheres. Besteira. Mas o fato é que para os homens, em geral, o banheiro masculino público é um lugar apenas de trânsito, e não de parada. Se fosse possível haveria um banheiro para cada. Porque enquanto a mulher não gosta de ficar sozinha no banheiro público, o homem prefereria estar só.

A aversão que geralmente o homem tem a outros homens no banheiro se verifica no mictório (as mulheres sabem o que é um mictório?). Há uma regra implícita e engraçada que todo homem conhece e segue: numa parede de mictórios vazios, o cara nunca vai urinar em um mictório adjacente a outro que esteja sendo usado por outro sujeito no momento. NUNCA. E mais do que isso: ele vai procurar o mictório mais afastado possível daquele que esteja sendo usado.

Vou exemplificar. Se numa parede cheia de mictórios tiver apenas um cara usando o último, o cara que chega depois vai ocupar o primeiro. E se outro cara chegar depois, ao ver os dois usando os mictórios dos extremos, ele vai ocupar o do meio. E assim vai. É um cálculo mental de otimização. E isso é lei. A gente só vê dois caras urinando em mictórios adjacentes se não houver outro mictório vazio mais afastado. Mas, se numa sequência de mictórios vazios alguém decide usar justamente o do seu ladinho, olha, pode ter certeza: é pessoal! Ou o cara te quer mal ou te quer muito bem, se é que vocês me entendem.

E isso vale também para aquele mictório corrido, sem divisórias. Só que esse eu não uso. Meu psicológico não me permite urinar estando tão, digamos, exposto. Aliás, eu demorei um pouco para conseguir usar o mictório individual, mesmo tendo divisórias. E confesso que até hoje tenho dificuldade para urinar quando um dos mictórios adjacentes está sendo usado, mesmo que o cara que esteja usando apenas não tenha tido a felicidade de outra opção. Sim, sou fresco.

Mas o curioso é que em vestiários a coisa é um pouco diferente. Os homens não se incomodam em passar um tempo no vestiário na companhia dos amigos, conversando, mesmo que já tenham se trocado. E o motivo é justamente esse: os amigos. Enquanto em um banheiro público comum os sujeitos que transitam por ali são desconhecidos, em um vestiário você geralmente conhece e convive com os caras que ali estão. Afinal, onde é que existem vestiários? Em clubes, em escolas, no trabalho etc; ou seja, lugares de amigos, ou pelo menos de conhecidos. Mesmo assim, a regra do mictório SEMPRE será seguida, a não ser pelos mal intencionados.

Outra coisa interessante a ser mencionada: homens lavam as mãos sim! Acho um absurdo algumas mulheres acharem que não. Pelo menos eu pouquíssimas vezes reparei em alguém que tenha saído do banheiro sem antes passar na pia. E outra: não retocamos maquiagem, mas ‘retocamos’ o cabelo. O espelho é muito utilizado. A gente se cuida.

Para terminar (essa vai como um banho de água fria para as mulheres egocêntricas e ciumentas), nas poucas vezes que o seu homem se permite trocar palavras com outro no banheiro, não é você a mencionada. Mas releve. Na esmagadora maioria das vezes, é apenas um papo de banheiro; tão despretencioso e camarada quanto o fato de você segurar a bolsa da sua amiga que está fazendo xixi.

Um comentário:

Matheus Lopes disse...

Também acho muito curiosa essa diferença entre homens e mulheres no uso do banheiro. haha Me diverti com a sua crônica!

Hoje mesmo, criei uma postagem com essa tema e acabei encontrando a sua através do google.

Parabéns pelo blog!
Deixo aqui o meu link.

http://escrevo-cronicas.blogspot.com.br/2015/06/xixi-dificil.html